Mude os móveis para treinar! 7 dicas para aproveitar os espaços em casa

Quem mora em espaços pequenos, como apartamentos ou residências menores, tem que buscar alternativas para aproveitar os espaços em casa o máximo possível, especialmente para dispor de um ambiente adequado para a prática de exercícios físicos.

No artigo de hoje, confira 7 dicas para aproveitar os espaços em casa, com a simples mudança de móveis. Acompanhe a leitura!

 

1 – Evite o acúmulo de acessórios

Os espaços pequenos pedem uma decoração mais funcional, voltada para a praticidade e otimização do ambiente. Por esse motivo, uma alternativa é optar pelo estilo minimalista, que faz o uso de móveis úteis ao local.

Desse modo, para treinar em casa fica mais fácil arrastar os artigos, sem a necessidade de mover inúmeros acessórios que não tem utilidade prática no dia a dia.

 

2 – Delimite o número de móveis nos cômodos

Para começar a treinar em casa, o primeiro passo é escolher um cômodo adequado, como o escritório, o quarto ou a sala de estar. 

O recomendável é optar pelo ambiente que tenha a menor quantidade de móveis e, se necessário, limitar a quantidade de itens no espaço.

Por exemplo, em um escritório, o mais importante é ter a mesa de trabalho e a cadeira de escritório. Assim, os demais móveis podem ser dispensados, o que torna mais fácil arrumar o cômodo para um treino em casa.

Além disso, é possível escolher itens menores, mas que oferecem o mesmo conforto e praticidade aos moradores.

 

3 – Opte por prateleiras

Se treinar em casa é um desafio por conta do excesso de objetos nos cômodos, uma alternativa é investir em prateleiras para a organização vertical dos objetos. Assim, não é preciso se desfazer de nada, ao mesmo tempo em que se tem uma otimização do espaço.

Além disso, as prateleiras são excelentes para guardar acessórios de treino, como:

  • Pesos e anilhas;
  • Faixas de alongamento;
  • Equipamentos de pilates;
  • Colchonetes.

4 – Prefira móveis planejados

Os móveis planejados são capazes de melhorar o aproveitamento dos cômodos, com maior organização e disposição dos objetos. 

Para quem deseja um espaço de treino, o ideal é ter um planejamento detalhado do ambiente, sendo mais fácil aproveitar o local durante a prática de atividades físicas.

Por exemplo, uma cadeira de escritório sem rodinha costuma ter um tamanho menor, em comparação às grandes poltronas corporativas, ocupando menos espaço.

 

5 – Instale portas deslizantes

As portas deslizantes são indicadas para residências menores, justamente por ocuparem menos espaço, em comparação às convencionais.

Durante os treinos, as portas não ocupam o recinto, sendo mais fácil se movimentar pelo cômodo, sem o risco de esbarrar nos móveis.

 

6 – Crie novos ambientes

É possível incluir diferentes espaços na sua casa, com pequenas mudanças estruturais da disposição dos móveis. Para quem ama soluções práticas, a alternativa é oferecer novas funções para áreas pouco aproveitadas da residência.

Por exemplo, o vão sob os degraus da escada pode ser aproveitado para guardar objetos, como os próprios acessórios de treinos.

Para dar um novo visual ao ambiente, a alternativa é fazer a restauração de fachada e dos revestimentos, pois a simples mudança de cor já transmite novas sensações aos moradores.

7 – Prefira os espaços abertos

Os espaços abertos são melhores para residências menores e oferecem mais espaço para treinos. 

Assim, é possível fazer uma aula de dança em toda a extensão da sala de estar e de jantar, aproveitando ao máximo dos dois cômodos.

 

Conclusão

Com um pouco de organização, qualquer canto pode virar uma sala de treinamento. 

Dessa forma, não há desculpa para não se exercitar, já que mesmo quem tem a rotina corrida pode tirar um tempinho para as atividades físicas mesmo em casa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Quais atividades físicas são mais recomendadas para os idosos?

As atividades físicas para idosos precisam ser direcionadas, já que manter o organismo ativo é a melhor maneira de ter saúde.

A qualidade de vida deve ser algo almejado em todas as idades, principalmente após os 60 anos, em que é preciso tomar cuidados específicos para manter o corpo e a mente saudáveis.

Os exercícios físicos ajudam a controlar a perda de força e massa muscular. Além disso, eles estimulam a produção de hormônios e ajudam no ganho de flexibilidade para a realização das tarefas do dia a dia.

Vale dizer que as atividades físicas também são importantes para a saúde mental. 

Elas ajudam na disposição e na autoestima, para que os idosos possam encarar o envelhecimento com mais naturalidade.

As práticas de pouco impacto são as mais recomendadas para quem está com mais de 60 anos, para evitar a ocorrência de lesões e machucados nas articulações.Mas nunca é tarde para começar a fazer exercícios físicos. Manter-se ativo na terceira idade é uma maneira de diminuir o risco de doenças crônicas, depressão, osteoporose, além de alguns tipos de cânceres.

Por isso, vários médicos, como ortopedista esportivo, recomendam a prática de esportes e outros exercícios em qualquer fase da vida.

No artigo de hoje, conheça quais atividades físicas são mais recomendadas para os idosos e os principais benefícios. Acompanhe a leitura!

1 – Alongamentos

Os alongamentos, embora pareçam fáceis, são exercícios que melhoram a capacidade funcional e a qualidade de vida dos idosos. Eles oferecem diversos benefícios, como:

  • Maior equilíbrio do corpo;
  • Controle das dores musculares;
  • Aumento da flexibilidade;
  • Melhoria da mobilidade;
  • Potencializa a autonomia e bem-estar.

Os exercícios de alongamento ajudam na saúde física e mental da terceira idade, mas precisam ser executados com cuidado para evitar riscos. 

Por isso, recomenda-se que as atividades sejam feitas com a consulta de um profissional e de forma supervisionada.

 

2 – Dança

A dança é uma das atividades mais recomendadas para idosos. O segredo é ter uma boa playlist, montar uma mesa de som yamaha digital e juntar os amigos para praticar uma aula animada e divertida.

De acordo com um estudo feito pelo Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, a dança ajuda a prevenir a perda de memória e o Alzheimer em idosos. 

Além disso, é uma atividade que ajuda na socialização e no encontro de amigos.

3 – Hidroginástica

Por ser realizada dentro d’água, a hidroginástica é uma atividade muito boa para evitar lesões e dores musculares nos idosos. 

É importante que o exercício seja feito em local apropriado, com piscina aquecida e um sombrite para garagem, se o espaço for aberto (para evitar raios solares). 

A hidroginástica é especialmente indicada para pessoas com osteoporose e artrose, justamente por ter um baixo risco de lesão.

 

4 – Musculação

A musculação e os exercícios resistidos têm se mostrado muito vantajosos para os idosos, promovendo a segurança articular e cardiovascular. 

Quando realizados com supervisão, eles são capazes de aumentar a massa muscular e óssea.

Contudo, os idosos devem sempre fazer exercícios de musculação devidamente acompanhados e alternar os dias de treinamento. Dessa forma, é possível aproveitar todos os benefícios da prática.

Além disso, a recomendação é aliar a musculação com algum exercício aeróbico, como caminhadas ou natação, para prevenir a ocorrência de diabetes, hipertensão, colesterol alto, entre outras doenças crônicas.

 

Conclusão

Para que a atividade física impacte de forma positiva os idosos, é fundamental que os exercícios sejam realizados com acompanhamento médico, levando em consideração as particularidades de cada corpo e as eventuais limitações.

Afinal de contas, a melhor atividade física é aquele que atende às necessidades e condições de saúde de cada indivíduo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.