Veja quais são as vantagens de realizar impermeabilização na laje.

A impermeabilização da laje é um processo fundamental, tanto em uma obra quanto em uma reforma. Esse processo torna a laje impermeável, ou seja, impede a passagem de água e umidade entre a superfície da casa e seu interior através do teto.

Quando a água consegue entrar na laje, problemas podem ser causados na residência com o passar do tempo, como:

 

  • Infiltrações;
  • Rachaduras;
  • Descolamento de tinta;
  • Desafixação do azulejo.

 

Embora pareça difícil entender como a umidade da laje pode afetar uma área tão grande, é importante saber que essas consequências podem levar tempo, mas causam bastante danos. Logo, é preciso cuidar bem da estrutura da casa e prevenir esses problemas.

Com o passar dos anos, torna-se essencial fazer uma revisão na infraestrutura do local e, periodicamente, realizar a impermeabilização de laje antiga sempre que necessário. Essas medidas ma identificar e prevenir problemas, antes que aconteçam.

Para saber como economizar e não ter que lidar com gastos excessivos e inesperados no futuro, acompanhe a leitura deste artigo.

 

Vantagens de fazer impermeabilização na laje

 

Além de conhecer os problemas causados pela falta de impermeabilização na laje, é necessário saber quais são as vantagens desse tipo de serviço, para que se possa usufruir ao máximo de seus benefícios.

 

1 – Prevenir infiltração

A impermeabilização na laje previne infiltração. Ou seja, não deixa que a umidade penetre na estrutura física da casa. 

A umidade que infiltra pela superfície e atravessa a laje, aos poucos, entra nas paredes dos cômodos e se espalha, causando grandes prejuízos.

Uma dica é usar a manta aluminizada para telhado, afinal, esse tipo de material é ótimo uma vez que ajuda a prevenir infiltração desde as calhas, evitando que a água chegue na laje.

 

2 – Evitar danos

O processo de impermeabilização também evita danos na residência. Quando a umidade entra na estrutura e se espalha pelo interior da parede, pode prejudicar a rede elétrica, por exemplo. 

Esse tipo de problema pode agravar a situação e danificar aparelhos eletrônicos se a água chegar até a saída de energia nas tomadas.

O uso de uma calha central telhado ajuda a direcionar a água da chuva para as laterais e faz com que não se acumule em cima da casa. Isso ajuda a reduzir a infiltração e evita danos.

 

3 – Manter a beleza

Além de impedir a infiltração e prevenir danos, os cuidados com a impermeabilização na laje permitem preservar a beleza da casa. Lembrando que esse tipo de problema prejudica a pintura e também uma decoração feita com azulejos, por exemplo.

Portanto, cuidar da manutenção da laje e impedir a entrada de água é uma forma de manter a casa bonita, agradável e confortável para os moradores. 

A decoração com as cores adequadas e as paredes livres de rachaduras contribuem para o bem-estar de todos que moram no local.

 

A importância de planejar uma reforma

Muitas vezes, uma reforma envolve modificações intensas no imóvel, mesmo que seja em apenas um cômodo, incluindo a pintura, restauração da parede, teto ou até mesmo trocar as telhas dos ambientes.

Para fazer isso, é preciso ter atenção com a situação da laje. Se a impermeabilização da laje não estiver adequada, o trabalho realizado será perdido, uma vez que a infiltração e as avarias vão estragar o serviço.

Por isso, é importante planejar tudo o que é necessário ser feito no imóvel antes de realizar uma reforma. 

Essa etapa inclui avaliar a situação da estrutura, o espaço onde serão feitas as modificações e tudo o que será necessário para obter sucesso na sua reforma, além de contratar um profissional capacitado. Assim, é possível garantir um resultado de qualidade.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Descubra como reformar um cômodo gastando pouco?

Reformar um cômodo pode ser necessário em diversas situações, mas realizar essa tarefa gastando pouco pode ser um grande desafio. Por esse processo demandar tempo e dinheiro, é essencial fazer um planejamento e otimizar as despesas.

Promover uma mudança em um ambiente e modificar seu visual traz a mesma sensação que mudar de casa, afinal, o resultado pode ser tão confortável e agradável quanto estar em um local novo. 

Uma reforma pode ajudar a renovar a disposição e dar mais ânimo aos moradores. Porém, esse processo é comumente oneroso e trabalhoso, uma vez que pode envolver várias etapas e materiais, como:

 

  • Aquisição de equipamentos;
  • Compra de materiais;
  • Contratação de profissionais;
  • Organização do local;
  • Limpeza do ambiente.

 

Cada uma dessas etapas interfere no tempo gasto e no custo final da reforma. É preciso avaliar cada uma dessas necessidades para obter bons resultados, desembolsando o mínimo possível. 

Com a escolha dos materiais corretos, você não irá precisar gastar com tarefas desnecessárias, como o polimento piso granilite, por exemplo.

Para saber como realizar a reforma de um cômodo gastando pouco, acompanhe a leitura deste artigo.

 

Economizando com a reforma

 

Pensar nas despesas de reformar um cômodo e como fazer para otimizar esse processo é fundamental para conseguir um resultado com bom custo-benefício. Modificar um ambiente é uma excelente decisão, mas precisa realmente valer a pena.

Fazer um planejamento é fundamental para estabelecer um plano de ação e reduzir gastos. Por isso, é preciso estar atento a alguns pontos relevantes.

 

1 – Espaço disponível

Conhecer exatamente qual é a área daquele ambiente e quanto espaço você possui disponível para fazer as modificações necessárias, é importante para saber o que pode ser realizado ali. Tanto os móveis quanto a decoração, dependem dessa informação.

 

2 – Escolha do material

A seleção dos materiais a serem usados faz muita diferença. É preciso pensar a longo prazo também, afinal, adquirir algo mais barato pode gerar uma despesa mais alta em pouco tempo.

Você deve considerar a facilidade e praticidade de limpeza, além da durabilidade. 

Nesse caso, o piso laminado para quarto infantil é uma boa dica se você deseja um elemento duradouro, uma vez que é resistente à impactos e possui propriedades térmicas.

 

3 – Área externa

O cômodo exposto em ambiente externo está sujeito a ações do clima como chuva, vento e sol. É natural que sofra desgaste, então, é preciso pensar em uma forma de adequar esse local para não receber impactos que o prejudiquem. 

Uma ideia é usar o revestimento externo textura. Esse material não deixa a sujeira tão aparente e mantém o local bonito por mais tempo.

 

4 – Faça você mesmo

Em vez de contratar um serviço especializado, é possível realizar as modificações por conta própria. Mas atenção: para fazer tudo sozinho, é necessário, pelo menos, buscar indicações com um profissional. 

Essa pesquisa pode ser feita até mesmo conversando com um vendedor no momento de adquirir o material. Organizar a reforma de um cômodo, qualquer que ele seja, e cuidar dos processos, ajuda a economizar com a equipe.

Também é  importante saber o que fazer para garantir um bom resultado. Você pode anotar tudo o que será necessário para esse processo: cada etapa e equipamentos. Esse passo ajuda a visualizar as prioridades e organizar os custos.

 

Resultados de uma boa reforma

 

Reformar um cômodo a partir de um planejamento bem elaborado traz ótimos resultados para os moradores da residência. Nem sempre a necessidade vem por causa da estrutura física da casa.

Modificar o local onde vivemos traz conforto, bem-estar e melhora a autoestima, além de proporcionar a sensação de estar vivendo em um local diferente e renovado.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Mude os móveis para treinar! 7 dicas para aproveitar os espaços em casa

Quem mora em espaços pequenos, como apartamentos ou residências menores, tem que buscar alternativas para aproveitar os espaços em casa o máximo possível, especialmente para dispor de um ambiente adequado para a prática de exercícios físicos.

No artigo de hoje, confira 7 dicas para aproveitar os espaços em casa, com a simples mudança de móveis. Acompanhe a leitura!

 

1 – Evite o acúmulo de acessórios

Os espaços pequenos pedem uma decoração mais funcional, voltada para a praticidade e otimização do ambiente. Por esse motivo, uma alternativa é optar pelo estilo minimalista, que faz o uso de móveis úteis ao local.

Desse modo, para treinar em casa fica mais fácil arrastar os artigos, sem a necessidade de mover inúmeros acessórios que não tem utilidade prática no dia a dia.

 

2 – Delimite o número de móveis nos cômodos

Para começar a treinar em casa, o primeiro passo é escolher um cômodo adequado, como o escritório, o quarto ou a sala de estar. 

O recomendável é optar pelo ambiente que tenha a menor quantidade de móveis e, se necessário, limitar a quantidade de itens no espaço.

Por exemplo, em um escritório, o mais importante é ter a mesa de trabalho e a cadeira de escritório. Assim, os demais móveis podem ser dispensados, o que torna mais fácil arrumar o cômodo para um treino em casa.

Além disso, é possível escolher itens menores, mas que oferecem o mesmo conforto e praticidade aos moradores.

 

3 – Opte por prateleiras

Se treinar em casa é um desafio por conta do excesso de objetos nos cômodos, uma alternativa é investir em prateleiras para a organização vertical dos objetos. Assim, não é preciso se desfazer de nada, ao mesmo tempo em que se tem uma otimização do espaço.

Além disso, as prateleiras são excelentes para guardar acessórios de treino, como:

  • Pesos e anilhas;
  • Faixas de alongamento;
  • Equipamentos de pilates;
  • Colchonetes.

4 – Prefira móveis planejados

Os móveis planejados são capazes de melhorar o aproveitamento dos cômodos, com maior organização e disposição dos objetos. 

Para quem deseja um espaço de treino, o ideal é ter um planejamento detalhado do ambiente, sendo mais fácil aproveitar o local durante a prática de atividades físicas.

Por exemplo, uma cadeira de escritório sem rodinha costuma ter um tamanho menor, em comparação às grandes poltronas corporativas, ocupando menos espaço.

 

5 – Instale portas deslizantes

As portas deslizantes são indicadas para residências menores, justamente por ocuparem menos espaço, em comparação às convencionais.

Durante os treinos, as portas não ocupam o recinto, sendo mais fácil se movimentar pelo cômodo, sem o risco de esbarrar nos móveis.

 

6 – Crie novos ambientes

É possível incluir diferentes espaços na sua casa, com pequenas mudanças estruturais da disposição dos móveis. Para quem ama soluções práticas, a alternativa é oferecer novas funções para áreas pouco aproveitadas da residência.

Por exemplo, o vão sob os degraus da escada pode ser aproveitado para guardar objetos, como os próprios acessórios de treinos.

Para dar um novo visual ao ambiente, a alternativa é fazer a restauração de fachada e dos revestimentos, pois a simples mudança de cor já transmite novas sensações aos moradores.

7 – Prefira os espaços abertos

Os espaços abertos são melhores para residências menores e oferecem mais espaço para treinos. 

Assim, é possível fazer uma aula de dança em toda a extensão da sala de estar e de jantar, aproveitando ao máximo dos dois cômodos.

 

Conclusão

Com um pouco de organização, qualquer canto pode virar uma sala de treinamento. 

Dessa forma, não há desculpa para não se exercitar, já que mesmo quem tem a rotina corrida pode tirar um tempinho para as atividades físicas mesmo em casa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Está reformando o escritório? 5 dicas para te ajudar a economizar

Quem está reformando o escritório pode ter muitas dúvidas durante o processo, caso não tenha se planejado ou feito boas escolhas.

Apesar de ser um ambiente menor e que não exige tanta variedade em móveis e decoração como uma casa, os escritórios também precisam de atenção. Dessa forma, é possível garantir conforto e bem-estar, além de um ambiente que favorece o trabalho.

O local de trabalho é onde passamos a maior parte do tempo, por isso deve ser confortável, ergonômico, prático e organizado. 

Dessa forma, os profissionais melhoram a sua produtividade e conseguem se concentrar melhor.

Não precisa de luxo ou tudo o que há de mais moderno em móveis e equipamentos, mas que ofereça aos profissionais toda a praticidade e dinamismo de um ambiente profissional, além de conforto para garantir a saúde e o bem-estar.

Pensando nisso, neste artigo, vamos falar sobre a importância de um bom ambiente de trabalho e dar algumas dicas para quem está reformando o escritório.

 

Dicas para reformar o escritório

A reforma do local de trabalho pode envolver desde pequenos consertos até a reconstrução total do ambiente. 

Independentemente de como seja o seu projeto, é preciso estar atento a algumas dicas:

1. Utilizar móveis multifuncionais

Se além de reformar a intenção é trocar a mobília, como cadeira de escritório, os móveis multifuncionais são ótimos para ajudar a economizar dinheiro e espaço.

Eles deixam o ambiente com aspecto mais clean e agradável para os colaboradores, assim como para os clientes que visitarem o espaço.

Aqui, uma dica é procurar lojas de móveis planejados, pois eles oferecem mobílias multifuncionais em muitas opções, tais como:

  • Estantes;
  • Mesas;
  • Sofás;
  • Cadeiras.

2. Fazer o uso de materiais ecológicos

Uma das maiores necessidades na reforma de escritórios é fazer uma sala privativa

Para isso, é necessário uma parede que divida o ambiente e possibilite um espaço mais reservado para reuniões e outras necessidades do dia a dia.

Ao invés de construir uma parede comum, uma ótima ideia é usar o MDF ou as paredes dry wall. É uma opção resistente e visualmente agradável, além de ser fácil de instalar, pois não deixa resíduos e nem faz a sujeira comum da alvenaria.

3. Realizar um planejamento

Reformas deixam muita gente ansiosa para terminar logo por conta da bagunça e dos contratempos, mas isso pode ocasionar em mais gastos por agir por impulso.

Um planejamento detalhado é importante, que envolva pelo menos três orçamentos com diferentes empresas, lojas de construção e locais seguros de retirada de entulho de obra.

 

4. Calcular os gastos

É importante saber o custo total da reforma antes de começá-la. Dessa forma, é possível decidir se ela será feita por completo ou em partes.

É durante esse planejamento que conseguimos saber as vantagens de um desconto para pagamentos à vista ou se parcelar é mais viável, por exemplo.

 

5.    Dar atenção ao acabamento

O acabamento precisa ter tanta qualidade quanto a reforma e os móveis. 

Essa etapa não pode ser negligenciada, portanto, é necessário pesquisar os produtos sem focar apenas no menor preço, mas também na qualidade.

A durabilidade dos acabamentos também é importante para os escritórios, isso porque se não tiver qualidade, novas reformas e ajustes precisarão ser feitos ao longo do tempo.

 

Conclusão

Ter um ambiente de trabalho agradável e renovado pode ser mais vantajoso do que você imagina. Para isso, basta se planejar e estar atento às possibilidades e novidades do mercado.

Também é importante priorizar fornecedores e profissionais de qualidade e experientes, pois eles vão garantir que o projeto fique perfeito. Assim, seu novo escritório vai aumentar sua produtividade e a dos demais colaboradores.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.