3 dicas para quem está iniciando no mercado imobiliário

Trabalhar com o mercado imobiliário pode ser uma grande oportunidade para iniciar negócios financeiros. Mas é preciso conhecer sobre o assunto e entender sua dinâmica para saber o que fazer.

Essa área econômica atrai muitos investidores e até mesmo pessoas que ainda não estão habituadas com esse tipo de setor. As possibilidades de resultados positivos e o potencial de retorno oferecidos são muito convidativos.

Muito mais do que valores, nesse caso, os investimentos envolvem bens físicos. O mercado imobiliário é um setor que lida com a comercialização de imóveis, seja para locação, compra ou venda, tais como:

 

  • Casas;
  • Prédios;
  • Terrenos;
  • Apartamentos;
  • Entre outros.

 

Nos centros urbanos, o espaço disponível para ser negociado, normalmente já está ocupado com construções. 

É interessante lembrar que os imóveis adquiridos dessa forma podem ser destinados ao uso pessoal ou comercial, como uma residência ou galpão, por exemplo.

Como o mercado imobiliário envolve a transação de bens reais, é preciso ter muito mais cuidado para não perder todo um patrimônio. 

Embora seja mais visível e mais fácil compreender o que acontece nesse meio, existem diversas variáveis. Assim sendo, acompanhe a leitura deste artigo para saber mais sobre o assunto.

 

Como se inserir no mercado imobiliário?

Quem deseja fazer parte do mercado imobiliário precisa conhecer melhor o setor para usufruir de todas as oportunidades oferecidas, além de conseguir lidar com as dificuldades que podem surgir no meio do percurso. 

 

Por isso, algumas dicas são:

 

1 – Pesquisas de referência 

Pesquisar as referências que existem no ramo imobiliário ajuda a saber o que já existe e como é possível atuar para obter sucesso. Essa ação torna-se essencial para se inserir nesse cenário com qualidade e variabilidade.

Por exemplo, a impermeabilização de laje antiga é fundamental para a segurança e preservação do imóvel. 

Como consequência, as referências de atuação nesse ramo permitem ter conhecimento dessa importância e levam o corretor a ficar mais atento ao negociar um imóvel.

 

2 – Entender o mercado

Para entender como o mercado imobiliário funciona, é necessário entender o contexto que o levou a estar com as características atuais. 

Isso permite estabelecer um plano de ação adequado e visualizar as tendências de mercado. A perspectiva do que está por vir através dessa visualização oferece a possibilidade de adotar medidas para lidar com as situações, antes que elas aconteçam. 

Até alguns anos atrás, não existia luminária de led para cozinha, por exemplo. Então é importante conhecer a trajetória desse segmento, assim como os elementos que integram suas evoluções.

Estudar a dinâmica entre as partes envolvidas ajuda a compreender o cenário atual. Além disso, é necessário manter o negócio de acordo com a legislação.

 

3 – Conhecer o público

Saber as preferências do público do segmento imobiliário é fundamental para oferecer conteúdos, produtos e serviços de forma adequada. Assim, é possível dialogar corretamente com a parcela consumidora, atendendo suas necessidades.

Se o deck de madeira para piscina redonda é uma característica que agrada quem busca um imóvel através do site da sua imobiliária, esse item deve fazer parte dos filtros de pesquisa. 

É assim que é possível identificar as preferências do cliente, auxiliando no oferecimento de conteúdos relevantes.

 

Importância do planejamento e organização

Elaborar um planejamento para colocar em prática todos os processos cotidianos é fundamental para atuar em qualquer setor, assim como ter organização para seguir essa meta de planos. Com o mercado imobiliário, isso não é diferente.

A metodologia de administração baseada nesses princípios, é fundamental dentro das imobiliárias, uma vez que os valores negociados vão além de meras transações financeiras. 

Afinal, ao envolver bens como os imóveis, os parâmetros de referência exigem um cuidado ainda maior.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Conheça 3 ideais para ajudar a mudar o ambiente da cozinha

Fazer uma reforma na casa e mudar a cozinha é o objetivo de muitas pessoas, afinal, estamos falando de um espaço onde é realizado o preparo e o armazenamento de alimentos. 

Mas não somente: a cozinha tornou-se um ambiente do qual temos momentos de convívio com nossa família e amigos.

Mais do que limpa e organizada, a cozinha precisa ser funcional e agilizar as tarefas do dia a dia. A boa notícia é que, na hora de reformá-la, o mercado oferece muitas opções e possibilidades.

Isso tem acontecido, na maioria das vezes, por conta das mudanças nas plantas dos imóveis, que tem até mesmo integrado esse ambiente à sala.

Por isso, a união entre cozinhar, beber, conversar e interagir já é parte do dia a dia de muitas pessoas. Portanto, é necessário adaptar esse ambiente a esta nova realidade.

A seguir, acompanhe algumas dicas para você transformar sua cozinha e garantir um espaço mais agradável e prático para o seu dia a dia. 

 

Dicas para fazer uma mudança na sua cozinha

Além de usar produtos de limpeza para cozinha de restaurante para manter esse cômodo sempre higienizado, algumas estratégias podem ajudar a mudá-lo, como:

 

1. Otimizar o espaço

Para otimizar a sua cozinha, existem algumas opções que podem ser colocadas em prática, entre elas:

  • Aproveitar o espaço nas paredes;
  • Usar móveis planejados;
  • Apostar em organizadores;
  • Adaptar uma pia na bancada.

As paredes podem ser aproveitadas com o uso de prateleiras, armários e ganchos, que vão ajudar a organizar os utensílios como panelas, pratos, panos, entre outros, tudo isso sem comprometer o espaço.

Os móveis planejados ajudam a valorizar o espaço e eles são indicados, em especial, para cozinhas menores e com pouco espaço.

Os organizadores podem ser colocados dentro dos armários, acomodando melhor pratos, talheres e outros utensílios essenciais.

Uma bancada com pia vai ajudar nos momentos de preparo dos alimentos, dando mais espaço para o manuseio dos ingredientes.

 

2. Colocar papel de parede

Os papéis de parede também podem ser usados na cozinha, uma vez que eles são capazes de mudar a cara do ambiente, sem gastos e outros percalços de uma reforma.

São tão práticos de instalar e apropriados para a umidade que podem, até mesmo, ser instalados no banheiro.

São duráveis, podendo permanecer no ambiente de 5 a 12 anos. Ou seja, você pode comprar um papel de parede que combine com a luminária de led para cozinha que você escolheu, para harmonizar o espaço e deixá-lo mais bonito.

 

3. Usar um dispenser de alimentos

Os dispensers de alimentos estão em altas e têm sido usados por pessoas que queiram modernizar o ambiente, mas também deixá-lo mais prático.

Eles são indicados para o consumo de grãos, como cereais, granolas e castanhas, facilitando seu consumo tanto por adultos, quanto por crianças.

 

4. Instalar persianas na janela

Uma cozinha bem iluminada e com entrada de luz natural é fundamental, no entanto, o excesso de luminosidade por atrapalhar em alguns momentos e deixar o ambiente um tanto abafado.

Por isso, o ideal é apostar em persiana vertical preta para bloquear a entrada de luz em momentos mais quentes do dia, deixando a sua cozinha agradável para quando for usá-la.

 

Conclusão

Para colocar em prática todas essas dicas, não se esqueça de antes fazer um bom planejamento. Assim, você evita sair do orçamento previsto e consegue melhorar a sua cozinha com itens de qualidade.

Se for fazer uma reforma mais complexa, que inclui mão de obra especializada, é ainda mais importante planejar-se e se preparar para eventualidades. Depois que tudo estiver pronto, é só aproveitar o novo ambiente com a família.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Entenda como resolver o problema de infiltração na sua casa

Um problema de infiltração é algo grave e não afeta apenas estruturas antigas. Ao contrário do que se pensa, proprietários de residências novas também devem estar atentos para saber como lidar com essa questão.

É importante ressaltar que a infiltração afeta a instalação física do imóvel, causando danos materiais e prejuízo financeiro. Desse modo, quanto mais demorar para identificar e resolver o problema, piores serão as consequências.

Em casos como esse, o ideal é adotar medidas preventivas para evitar distúrbios. Assim, é possível corrigir os pontos falhos que tendem a desenvolver uma infiltração, antes que esse problema aconteça.

Os cuidados de observação e manutenção ajudam a evitar diversas complicações causadas pela infiltração, como:

 

  • Umidade no interior das paredes;
  • Rede elétrica danificada;
  • Pintura descascada;
  • Elementos de madeira prejudicados.

 

Lembrando que, uma casa é projetada para proteger seus moradores e tudo o que é armazenado em seu interior. Muitos objetos, móveis e equipamentos não são resistentes à umidade: precisam de um local seco e arejado para sua preservação.

Para saber mais sobre como evitar ou solucionar as infiltrações em sua residência, acompanhe a leitura deste artigo.

 

Como prevenir problemas causados pela infiltração

Um imóvel precisa ser bem planejado para apresentar um ambiente seguro aos moradores, tanto a estrutura física e os bens materiais do local precisam ser preservados.

Mesmo com uma construção bem elaborada, é indicado realizar alguns procedimentos para resolver os problemas que podem aparecer no decorrer do tempo, devido ao desgaste natural.

Sendo assim, é fundamental seguir algumas dicas de preservação:

 

1 – Realizar reformas 

A reforma de uma casa não deve ser feita apenas quando o morador encontra um problema ou seu proprietário pretende vender, alugar ou empreender. 

Reformar é um processo que evita gastos maiores e apresenta uma ótima solução preventiva para a residência.

Esse é o momento de fazer uma revisão em toda a estrutura e corrigir possíveis falhas, além de melhorar as características do imóvel, visando os benefícios para a residência em si e seus moradores. 

Uma dica é utilizar manta aluminizada para telhado para auxiliar no controle da temperatura dos cômodos, sendo e eficaz para impedir infiltrações.

 

2 – Colocar telhado 

Fazer um telhado pode ser um quesito a mais para resolver a infiltração de um imóvel. 

Muitas casas são finalizadas apenas com a laje e o acabamento estético. Porém, o telhado é muito importante para proteger a residência e impedir a entrada de água da chuva.

Por isso, ao realizar a revisão dos ambientes para evitar problemas de infiltração, é interessante instalar uma calha central telhado

Dessa forma, a água pode escorrer para as laterais, sem acumular-se sobre a casa.

 

3 – Utilizar impermeabilizantes

O impermeabilizante cria uma proteção na construção para impedir a passagem de água e umidade. É essencial estar atento aos locais que devem receber esse cuidado e qual é o material mais indicado para obter um bom resultado.

Uma orientação é realizar a impermeabilização de laje antiga. Assim, é possível impedir que o desgaste natural do tempo cause intempéries na estrutura que facilita infiltrações e podem danificar o imóvel.

 

Benefícios de impedir a infiltração na casa

Resolver problemas de infiltração em uma residência trazem vantagens tanto para a preservação material dos bens materiais, quanto em relação aos gastos financeiros. 

É preciso ressaltar que essa resolução deve acontecer assim que algo incorreto for identificado.

A umidade que entra pelo telhado ou pela laje que não possui impermeabilização pode se espalhar através da parede e chegar até o chão, por exemplo.

Entre os benefícios desse cuidado está um ambiente seguro e saudável, sendo uma forma até mesmo de evitar a proliferação de fungos e doenças.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos

Veja quais são as vantagens de realizar impermeabilização na laje.

A impermeabilização da laje é um processo fundamental, tanto em uma obra quanto em uma reforma. Esse processo torna a laje impermeável, ou seja, impede a passagem de água e umidade entre a superfície da casa e seu interior através do teto.

Quando a água consegue entrar na laje, problemas podem ser causados na residência com o passar do tempo, como:

 

  • Infiltrações;
  • Rachaduras;
  • Descolamento de tinta;
  • Desafixação do azulejo.

 

Embora pareça difícil entender como a umidade da laje pode afetar uma área tão grande, é importante saber que essas consequências podem levar tempo, mas causam bastante danos. Logo, é preciso cuidar bem da estrutura da casa e prevenir esses problemas.

Com o passar dos anos, torna-se essencial fazer uma revisão na infraestrutura do local e, periodicamente, realizar a impermeabilização de laje antiga sempre que necessário. Essas medidas ma identificar e prevenir problemas, antes que aconteçam.

Para saber como economizar e não ter que lidar com gastos excessivos e inesperados no futuro, acompanhe a leitura deste artigo.

 

Vantagens de fazer impermeabilização na laje

 

Além de conhecer os problemas causados pela falta de impermeabilização na laje, é necessário saber quais são as vantagens desse tipo de serviço, para que se possa usufruir ao máximo de seus benefícios.

 

1 – Prevenir infiltração

A impermeabilização na laje previne infiltração. Ou seja, não deixa que a umidade penetre na estrutura física da casa. 

A umidade que infiltra pela superfície e atravessa a laje, aos poucos, entra nas paredes dos cômodos e se espalha, causando grandes prejuízos.

Uma dica é usar a manta aluminizada para telhado, afinal, esse tipo de material é ótimo uma vez que ajuda a prevenir infiltração desde as calhas, evitando que a água chegue na laje.

 

2 – Evitar danos

O processo de impermeabilização também evita danos na residência. Quando a umidade entra na estrutura e se espalha pelo interior da parede, pode prejudicar a rede elétrica, por exemplo. 

Esse tipo de problema pode agravar a situação e danificar aparelhos eletrônicos se a água chegar até a saída de energia nas tomadas.

O uso de uma calha central telhado ajuda a direcionar a água da chuva para as laterais e faz com que não se acumule em cima da casa. Isso ajuda a reduzir a infiltração e evita danos.

 

3 – Manter a beleza

Além de impedir a infiltração e prevenir danos, os cuidados com a impermeabilização na laje permitem preservar a beleza da casa. Lembrando que esse tipo de problema prejudica a pintura e também uma decoração feita com azulejos, por exemplo.

Portanto, cuidar da manutenção da laje e impedir a entrada de água é uma forma de manter a casa bonita, agradável e confortável para os moradores. 

A decoração com as cores adequadas e as paredes livres de rachaduras contribuem para o bem-estar de todos que moram no local.

 

A importância de planejar uma reforma

Muitas vezes, uma reforma envolve modificações intensas no imóvel, mesmo que seja em apenas um cômodo, incluindo a pintura, restauração da parede, teto ou até mesmo trocar as telhas dos ambientes.

Para fazer isso, é preciso ter atenção com a situação da laje. Se a impermeabilização da laje não estiver adequada, o trabalho realizado será perdido, uma vez que a infiltração e as avarias vão estragar o serviço.

Por isso, é importante planejar tudo o que é necessário ser feito no imóvel antes de realizar uma reforma. 

Essa etapa inclui avaliar a situação da estrutura, o espaço onde serão feitas as modificações e tudo o que será necessário para obter sucesso na sua reforma, além de contratar um profissional capacitado. Assim, é possível garantir um resultado de qualidade.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Descubra como reformar um cômodo gastando pouco?

Reformar um cômodo pode ser necessário em diversas situações, mas realizar essa tarefa gastando pouco pode ser um grande desafio. Por esse processo demandar tempo e dinheiro, é essencial fazer um planejamento e otimizar as despesas.

Promover uma mudança em um ambiente e modificar seu visual traz a mesma sensação que mudar de casa, afinal, o resultado pode ser tão confortável e agradável quanto estar em um local novo. 

Uma reforma pode ajudar a renovar a disposição e dar mais ânimo aos moradores. Porém, esse processo é comumente oneroso e trabalhoso, uma vez que pode envolver várias etapas e materiais, como:

 

  • Aquisição de equipamentos;
  • Compra de materiais;
  • Contratação de profissionais;
  • Organização do local;
  • Limpeza do ambiente.

 

Cada uma dessas etapas interfere no tempo gasto e no custo final da reforma. É preciso avaliar cada uma dessas necessidades para obter bons resultados, desembolsando o mínimo possível. 

Com a escolha dos materiais corretos, você não irá precisar gastar com tarefas desnecessárias, como o polimento piso granilite, por exemplo.

Para saber como realizar a reforma de um cômodo gastando pouco, acompanhe a leitura deste artigo.

 

Economizando com a reforma

 

Pensar nas despesas de reformar um cômodo e como fazer para otimizar esse processo é fundamental para conseguir um resultado com bom custo-benefício. Modificar um ambiente é uma excelente decisão, mas precisa realmente valer a pena.

Fazer um planejamento é fundamental para estabelecer um plano de ação e reduzir gastos. Por isso, é preciso estar atento a alguns pontos relevantes.

 

1 – Espaço disponível

Conhecer exatamente qual é a área daquele ambiente e quanto espaço você possui disponível para fazer as modificações necessárias, é importante para saber o que pode ser realizado ali. Tanto os móveis quanto a decoração, dependem dessa informação.

 

2 – Escolha do material

A seleção dos materiais a serem usados faz muita diferença. É preciso pensar a longo prazo também, afinal, adquirir algo mais barato pode gerar uma despesa mais alta em pouco tempo.

Você deve considerar a facilidade e praticidade de limpeza, além da durabilidade. 

Nesse caso, o piso laminado para quarto infantil é uma boa dica se você deseja um elemento duradouro, uma vez que é resistente à impactos e possui propriedades térmicas.

 

3 – Área externa

O cômodo exposto em ambiente externo está sujeito a ações do clima como chuva, vento e sol. É natural que sofra desgaste, então, é preciso pensar em uma forma de adequar esse local para não receber impactos que o prejudiquem. 

Uma ideia é usar o revestimento externo textura. Esse material não deixa a sujeira tão aparente e mantém o local bonito por mais tempo.

 

4 – Faça você mesmo

Em vez de contratar um serviço especializado, é possível realizar as modificações por conta própria. Mas atenção: para fazer tudo sozinho, é necessário, pelo menos, buscar indicações com um profissional. 

Essa pesquisa pode ser feita até mesmo conversando com um vendedor no momento de adquirir o material. Organizar a reforma de um cômodo, qualquer que ele seja, e cuidar dos processos, ajuda a economizar com a equipe.

Também é  importante saber o que fazer para garantir um bom resultado. Você pode anotar tudo o que será necessário para esse processo: cada etapa e equipamentos. Esse passo ajuda a visualizar as prioridades e organizar os custos.

 

Resultados de uma boa reforma

 

Reformar um cômodo a partir de um planejamento bem elaborado traz ótimos resultados para os moradores da residência. Nem sempre a necessidade vem por causa da estrutura física da casa.

Modificar o local onde vivemos traz conforto, bem-estar e melhora a autoestima, além de proporcionar a sensação de estar vivendo em um local diferente e renovado.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Mude os móveis para treinar! 7 dicas para aproveitar os espaços em casa

Quem mora em espaços pequenos, como apartamentos ou residências menores, tem que buscar alternativas para aproveitar os espaços em casa o máximo possível, especialmente para dispor de um ambiente adequado para a prática de exercícios físicos.

No artigo de hoje, confira 7 dicas para aproveitar os espaços em casa, com a simples mudança de móveis. Acompanhe a leitura!

 

1 – Evite o acúmulo de acessórios

Os espaços pequenos pedem uma decoração mais funcional, voltada para a praticidade e otimização do ambiente. Por esse motivo, uma alternativa é optar pelo estilo minimalista, que faz o uso de móveis úteis ao local.

Desse modo, para treinar em casa fica mais fácil arrastar os artigos, sem a necessidade de mover inúmeros acessórios que não tem utilidade prática no dia a dia.

 

2 – Delimite o número de móveis nos cômodos

Para começar a treinar em casa, o primeiro passo é escolher um cômodo adequado, como o escritório, o quarto ou a sala de estar. 

O recomendável é optar pelo ambiente que tenha a menor quantidade de móveis e, se necessário, limitar a quantidade de itens no espaço.

Por exemplo, em um escritório, o mais importante é ter a mesa de trabalho e a cadeira de escritório. Assim, os demais móveis podem ser dispensados, o que torna mais fácil arrumar o cômodo para um treino em casa.

Além disso, é possível escolher itens menores, mas que oferecem o mesmo conforto e praticidade aos moradores.

 

3 – Opte por prateleiras

Se treinar em casa é um desafio por conta do excesso de objetos nos cômodos, uma alternativa é investir em prateleiras para a organização vertical dos objetos. Assim, não é preciso se desfazer de nada, ao mesmo tempo em que se tem uma otimização do espaço.

Além disso, as prateleiras são excelentes para guardar acessórios de treino, como:

  • Pesos e anilhas;
  • Faixas de alongamento;
  • Equipamentos de pilates;
  • Colchonetes.

4 – Prefira móveis planejados

Os móveis planejados são capazes de melhorar o aproveitamento dos cômodos, com maior organização e disposição dos objetos. 

Para quem deseja um espaço de treino, o ideal é ter um planejamento detalhado do ambiente, sendo mais fácil aproveitar o local durante a prática de atividades físicas.

Por exemplo, uma cadeira de escritório sem rodinha costuma ter um tamanho menor, em comparação às grandes poltronas corporativas, ocupando menos espaço.

 

5 – Instale portas deslizantes

As portas deslizantes são indicadas para residências menores, justamente por ocuparem menos espaço, em comparação às convencionais.

Durante os treinos, as portas não ocupam o recinto, sendo mais fácil se movimentar pelo cômodo, sem o risco de esbarrar nos móveis.

 

6 – Crie novos ambientes

É possível incluir diferentes espaços na sua casa, com pequenas mudanças estruturais da disposição dos móveis. Para quem ama soluções práticas, a alternativa é oferecer novas funções para áreas pouco aproveitadas da residência.

Por exemplo, o vão sob os degraus da escada pode ser aproveitado para guardar objetos, como os próprios acessórios de treinos.

Para dar um novo visual ao ambiente, a alternativa é fazer a restauração de fachada e dos revestimentos, pois a simples mudança de cor já transmite novas sensações aos moradores.

7 – Prefira os espaços abertos

Os espaços abertos são melhores para residências menores e oferecem mais espaço para treinos. 

Assim, é possível fazer uma aula de dança em toda a extensão da sala de estar e de jantar, aproveitando ao máximo dos dois cômodos.

 

Conclusão

Com um pouco de organização, qualquer canto pode virar uma sala de treinamento. 

Dessa forma, não há desculpa para não se exercitar, já que mesmo quem tem a rotina corrida pode tirar um tempinho para as atividades físicas mesmo em casa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Está reformando o escritório? 5 dicas para te ajudar a economizar

Quem está reformando o escritório pode ter muitas dúvidas durante o processo, caso não tenha se planejado ou feito boas escolhas.

Apesar de ser um ambiente menor e que não exige tanta variedade em móveis e decoração como uma casa, os escritórios também precisam de atenção. Dessa forma, é possível garantir conforto e bem-estar, além de um ambiente que favorece o trabalho.

O local de trabalho é onde passamos a maior parte do tempo, por isso deve ser confortável, ergonômico, prático e organizado. 

Dessa forma, os profissionais melhoram a sua produtividade e conseguem se concentrar melhor.

Não precisa de luxo ou tudo o que há de mais moderno em móveis e equipamentos, mas que ofereça aos profissionais toda a praticidade e dinamismo de um ambiente profissional, além de conforto para garantir a saúde e o bem-estar.

Pensando nisso, neste artigo, vamos falar sobre a importância de um bom ambiente de trabalho e dar algumas dicas para quem está reformando o escritório.

 

Dicas para reformar o escritório

A reforma do local de trabalho pode envolver desde pequenos consertos até a reconstrução total do ambiente. 

Independentemente de como seja o seu projeto, é preciso estar atento a algumas dicas:

1. Utilizar móveis multifuncionais

Se além de reformar a intenção é trocar a mobília, como cadeira de escritório, os móveis multifuncionais são ótimos para ajudar a economizar dinheiro e espaço.

Eles deixam o ambiente com aspecto mais clean e agradável para os colaboradores, assim como para os clientes que visitarem o espaço.

Aqui, uma dica é procurar lojas de móveis planejados, pois eles oferecem mobílias multifuncionais em muitas opções, tais como:

  • Estantes;
  • Mesas;
  • Sofás;
  • Cadeiras.

2. Fazer o uso de materiais ecológicos

Uma das maiores necessidades na reforma de escritórios é fazer uma sala privativa

Para isso, é necessário uma parede que divida o ambiente e possibilite um espaço mais reservado para reuniões e outras necessidades do dia a dia.

Ao invés de construir uma parede comum, uma ótima ideia é usar o MDF ou as paredes dry wall. É uma opção resistente e visualmente agradável, além de ser fácil de instalar, pois não deixa resíduos e nem faz a sujeira comum da alvenaria.

3. Realizar um planejamento

Reformas deixam muita gente ansiosa para terminar logo por conta da bagunça e dos contratempos, mas isso pode ocasionar em mais gastos por agir por impulso.

Um planejamento detalhado é importante, que envolva pelo menos três orçamentos com diferentes empresas, lojas de construção e locais seguros de retirada de entulho de obra.

 

4. Calcular os gastos

É importante saber o custo total da reforma antes de começá-la. Dessa forma, é possível decidir se ela será feita por completo ou em partes.

É durante esse planejamento que conseguimos saber as vantagens de um desconto para pagamentos à vista ou se parcelar é mais viável, por exemplo.

 

5.    Dar atenção ao acabamento

O acabamento precisa ter tanta qualidade quanto a reforma e os móveis. 

Essa etapa não pode ser negligenciada, portanto, é necessário pesquisar os produtos sem focar apenas no menor preço, mas também na qualidade.

A durabilidade dos acabamentos também é importante para os escritórios, isso porque se não tiver qualidade, novas reformas e ajustes precisarão ser feitos ao longo do tempo.

 

Conclusão

Ter um ambiente de trabalho agradável e renovado pode ser mais vantajoso do que você imagina. Para isso, basta se planejar e estar atento às possibilidades e novidades do mercado.

Também é importante priorizar fornecedores e profissionais de qualidade e experientes, pois eles vão garantir que o projeto fique perfeito. Assim, seu novo escritório vai aumentar sua produtividade e a dos demais colaboradores.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Vale a pena realizar investimentos em casas mobiliadas?

O setor de casa e construção tem várias peculiaridades e pode despertar dúvidas em quem pretenda investir nessa área, sendo uma das principais a do investimento em casas mobiliadas.

É comum vermos essa solução em filmes norte-americanos, já que lá tal medida é como que uma tradição. Contudo, cada vez mais temos visto isso também no mercado nacional.

As questões que ficam pairando no ar, porém, são a respeito dos prós e contras desse tipo de negociação. 

Será que vale a pena investir em casas já mobiliadas, ou é preferível comprar o imóvel vazio e mobiliá-lo depois?

Se você quer compreender melhor antes de tomar sua decisão, veio ao lugar certo. Basta continuar com a gente até o fim da leitura.

 

O que são e quais os impactos?

Pode parecer redundante a questão sobre “o que são imóveis mobiliados”. Afinal, parece óbvio, porém o que se ressalta aqui são os bastidores dessa área.

Geralmente, as empresas que comercializam dessa maneira nada mais são que construtoras ou imobiliárias com uma boa influência no mercado.

Assim, além de dominarem o seu setor, conhecem também o moveleiro e todos os demais nichos. Por isso, existe certa organicidade em tais projetos.

Se o edifício fosse comercial, a mesma construtora ou empreiteira que ergueu a construção definiria qual a melhor estrutura metálica para cobertura, e depois quais os melhores móveis e instalações do ambiente.

Isso completa o serviço de modo mais abrangente, além de que costuma incluir os famosos móveis planejados, que se encaixam perfeitamente em cada aplicação.

Aí estão alguns impactos positivos. Por outro lado, também é essa modalidade de negociação que pode assustar, a princípio, em termos financeiros.

Sim, já que dentro da mesma linha de casas e imóveis cotados haverá uma diferença considerável de valor naqueles que já forem mobiliados, pois a mobília estará embutida no preço final.

Esse ponto merece aprofundamento.

 

Como ver a questão dos valores?

Já vimos como o know-how das empresas que vendem imóveis mobiliados pode ser um fator bastante positivo em qualquer negociação.

Uma ponderação necessária é sobre os valores, pois embora obviamente o mobiliado acabe ficando um pouco acima do valor, na prática ele deve sair mais em conta.

Se você fosse calcular a mobília de uma casa inteira (ou mesmo de uma empresa), incluindo aí os vários serviços de que precisaria para encontrar as peças indispensáveis e chegar ao ponto perfeito, certamente o valor acabaria ficando muito maior.

Afinal, uma simples estante escritório pode custar muito mais caro para o usuário final, que compra apenas uma peça, do que para uma construtora. 

Esta ainda costuma encomendar um lote bem maior de móveis, já que compra sempre no atacado.

 

A praticidade e o longo prazo

Você ainda pode estar pensando: “Mas os móveis não vão ter a minha cara, e talvez nem combinem com o meu estilo”.

O que isso demonstra, porém, não é a desvantagem do imóvel mobiliado, mas a necessidade de pesquisar bastante antes de realizar qualquer aquisição.

De fato, você também não desenha um imóvel ou uma casa exatamente como queria, não é mesmo? Você apenas escolhe uma entre várias no mercado.

Assim, além de as mobílias já incluídas serem customizadas para cada ambiente da casa, a praticidade do serviço também vai economizar muito do seu tempo.

Também é preciso lembrar que os retoques finais caberão a você, como itens secundários que podem incluir, por exemplo:

Além de toda a decoração e da própria garantia (do imóvel e dos móveis principais), que virá da mesma empresa e dará maior segurança no médio e longo prazo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como adaptar a sua casa em escritório para ser mais produtivo

Transformar uma casa em escritório pode ser uma excelente maneira de melhorar a produtividade do home office.

Isso porque, muitas pessoas estão trabalhando em casa, mas têm sentido dificuldade em manter a produtividade.

Uma repaginada no ambiente, pode ajudar a melhorar o dia de trabalho, além de proporcionar mais conforto e bem-estar.

Pensando nisso, neste artigo, vamos dar algumas dicas para que você consiga adaptar um cômodo da sua casa, tornando-o um ambiente ideal para a sua rotina.

A importância de um local exclusivo

Trabalhar em casa pode ser sinônimo de dificuldades para algumas pessoas, principalmente por conta do local de trabalho. 

Nem sempre temos um espaço exclusivo para isso, mas essa realidade não precisa ser um problema.

Para que você consiga fazer um bom home office, em primeiro lugar, é importante ter um local para trabalhar, não precisando ser necessariamente em um lugar exclusivo. 

No início, pode ser difícil encontrar um ambiente adequado para as atividades do dia a dia, mas com itens simples, como uma luminária para quarto é possível começar a fazer as mudanças necessárias.

Como adaptar um cômodo para trabalhar

Agora que diversas pessoas foram obrigadas a mudar a maneira como trabalham, muita gente se viu na necessidade de fazer algumas mudanças para manter a rotina de trabalho. 

E a tendência é que essa nova realidade permaneça para muitos profissionais.

Muitas organizações estão vendo no home office uma excelente maneira de economizar e poupar investimentos em espaço físico, por isso, o ideal é colocar em prática dicas como:

  • Separar um canto de um cômodo;
  • Analisar a iluminação;
  • Respeitar os horários de trabalho;
  • Tentar manter uma rotina.

Feito isso, é hora de providenciar as adaptações, sem precisar de uma reforma predial. E algumas dicas são:

1 – Escrivaninha como mesa de apoio da cama

Seja por falta de espaço ou porque o profissional não deseja olhar para o “escritório” quando estiver na cama, uma boa dica é colocar uma mesa de trabalho no lugar de uma mesa de apoio.

Essa ideia aproveita melhor o espaço disponível e evita que a pessoa tenha contato visual com papéis, computador e outros itens em seus momentos de descanso.

2 – Espaço definitivo de trabalho

Para quem definitivamente trabalha dessa maneira e não pretende voltar a trabalhar fora de casa, uma boa dica é dedicar uma parede toda para o espaço de trabalho.

Pode ser na sala ou no quarto, no entanto, é importante lembrar que, se for um local definitivo, precisa ser em um ambiente silencioso onde o profissional possa se concentrar.

Uma boa ideia é dispor uma mesa que ocupe toda a largura de uma das paredes. 

Dessa forma, é possível organizar todos os materiais de trabalho, como computador, impressora, papéis etc.

Para deixar o espaço ainda mais confortável, usar papel de parede vinílico é uma boa dica, pois ele deixa o ambiente mais bonito para o dia a dia de trabalho.

3 – Móveis confortáveis

Os móveis precisam ser ergonômicos, isto é, que otimizem o bem-estar do colaborador. 

Por isso, se o orçamento estiver um pouco apertado, invista pelo menos em uma boa cadeira, para que sua coluna não seja prejudicada.

4 – Ambiente menos poluído

Lembre-se de que o escritório vai dividir espaço com a sala ou quarto, por isso, quanto mais organizado ele for, menos poluição visual ele causa.

Conclusão

Transformar um espaço em escritório para o trabalho auxilia na concentração nas tarefas e também em outros momentos, como na hora de ler um livro ou estudar.

É uma maneira de aproveitar todo o conforto do lar para melhorar a produtividade em qualquer atividade, com um home office muito agradável.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Noções Básicas Que Você Precisa Ter Sobre Filtros Hidráulicos

A maioria das aplicações hidráulicas móveis e industriais contém componentes usinados de precisão que são sensíveis ao desgaste e podem causar danos. 

 

Fluidos hidráulicos contaminados são a principal razão para falha prematura e baixo desempenho de um sistema hidráulico. 

Contaminantes

 

Os contaminantes químicos e partículas presentes no óleo hidráulico resultarão em desgaste acelerado do componente, corrosão, bloqueio do orifício, degradação do óleo e muito mais. 

 

Contaminantes entram no sistema como resultado de defeitos de fabricação, baixa qualidade/limpeza do fluido e processo de enchimento, além de má manutenção. 

Como você remove os contaminantes e protege seu sistema hidráulico?

 

Com o investimento em filtros hidráulicos. Eles são importantes equipamentos utilizados comumente em todos os sistemas hidráulicos para a remoção de contaminantes insolúveis do óleo hidráulico. 

Construção dos filtros

 

Os filtros são construídos com uma tela fina de malha de arame e são adequados para remover partículas grandes. 

 

Os filtros são meios de filtração normalmente usados ​​contendo invólucro de aço fabricado com uma entrada e uma saída. 

A capacidade máxima de acumulação de partículas estranhas dos filtros tornou-a altamente adaptável na hidráulica. 

Filtração

 

A filtração é o processo usado pela indústria hidráulica para remover contaminantes do fluido hidráulico que circula pelo sistema. 

 

Os filtros instalados neste sistema passarão fluido através dele, bloqueando os contaminantes e passando o óleo hidráulico filtrado. 

 

O fluido claro obtido após passar pelo sistema é chamado de filtrado e os contaminantes coletados são chamados de resíduo.

Desempenho de um sistema hidráulico

 

O desempenho de um sistema hidráulico é medido pela sua capacidade de retenção de sujeira. Existem três métodos para entender a eficiência de um filtro. Inclui classificação nominal, classificação absoluta e classificação beta. 

Classificações

 

A classificação nominal é o valor atribuído pelo fabricante e a classificação absoluta é baseada no tamanho da maior partícula que pode passar pelo sistema. A indústria hidráulica utiliza amplamente testes beta, baseados no método multipass. 

 

É necessário alterar os filtros após um determinado período de tempo para remover a partícula contaminada coletada pelo filtro. Caso contrário, um filtro danificado pode bloquear a passagem de fluido ou o meio filtrante será danificado.

Tipos de filtro de óleo hidráulico

 

Os filtros de óleo hidráulico têm inúmeras vantagens na indústria hidráulica. Eles estão disponíveis em diferentes tipos com base nos aplicativos. 

 

Os filtros de óleo hidráulico podem ser classificados de acordo com o método de filtragem, localização do filtro, tamanho dos poros e quantidade de óleo filtrado. 

 

Para selecionar um filtro adequado que corresponda ao seu sistema, é necessário considerar a pressão, o tipo de fluido, a vazão, a resistência, a porcentagem de contaminantes e a limpeza ideal. 

 

Filtros de sucção, filtros de pressão, filtros de retorno e filtros offline são os principais tipos que têm no mercado atualmente. Cada um com suas características.