Mude os móveis para treinar! 7 dicas para aproveitar os espaços em casa

Quem mora em espaços pequenos, como apartamentos ou residências menores, tem que buscar alternativas para aproveitar os espaços em casa o máximo possível, especialmente para dispor de um ambiente adequado para a prática de exercícios físicos.

No artigo de hoje, confira 7 dicas para aproveitar os espaços em casa, com a simples mudança de móveis. Acompanhe a leitura!

 

1 – Evite o acúmulo de acessórios

Os espaços pequenos pedem uma decoração mais funcional, voltada para a praticidade e otimização do ambiente. Por esse motivo, uma alternativa é optar pelo estilo minimalista, que faz o uso de móveis úteis ao local.

Desse modo, para treinar em casa fica mais fácil arrastar os artigos, sem a necessidade de mover inúmeros acessórios que não tem utilidade prática no dia a dia.

 

2 – Delimite o número de móveis nos cômodos

Para começar a treinar em casa, o primeiro passo é escolher um cômodo adequado, como o escritório, o quarto ou a sala de estar. 

O recomendável é optar pelo ambiente que tenha a menor quantidade de móveis e, se necessário, limitar a quantidade de itens no espaço.

Por exemplo, em um escritório, o mais importante é ter a mesa de trabalho e a cadeira de escritório. Assim, os demais móveis podem ser dispensados, o que torna mais fácil arrumar o cômodo para um treino em casa.

Além disso, é possível escolher itens menores, mas que oferecem o mesmo conforto e praticidade aos moradores.

 

3 – Opte por prateleiras

Se treinar em casa é um desafio por conta do excesso de objetos nos cômodos, uma alternativa é investir em prateleiras para a organização vertical dos objetos. Assim, não é preciso se desfazer de nada, ao mesmo tempo em que se tem uma otimização do espaço.

Além disso, as prateleiras são excelentes para guardar acessórios de treino, como:

  • Pesos e anilhas;
  • Faixas de alongamento;
  • Equipamentos de pilates;
  • Colchonetes.

4 – Prefira móveis planejados

Os móveis planejados são capazes de melhorar o aproveitamento dos cômodos, com maior organização e disposição dos objetos. 

Para quem deseja um espaço de treino, o ideal é ter um planejamento detalhado do ambiente, sendo mais fácil aproveitar o local durante a prática de atividades físicas.

Por exemplo, uma cadeira de escritório sem rodinha costuma ter um tamanho menor, em comparação às grandes poltronas corporativas, ocupando menos espaço.

 

5 – Instale portas deslizantes

As portas deslizantes são indicadas para residências menores, justamente por ocuparem menos espaço, em comparação às convencionais.

Durante os treinos, as portas não ocupam o recinto, sendo mais fácil se movimentar pelo cômodo, sem o risco de esbarrar nos móveis.

 

6 – Crie novos ambientes

É possível incluir diferentes espaços na sua casa, com pequenas mudanças estruturais da disposição dos móveis. Para quem ama soluções práticas, a alternativa é oferecer novas funções para áreas pouco aproveitadas da residência.

Por exemplo, o vão sob os degraus da escada pode ser aproveitado para guardar objetos, como os próprios acessórios de treinos.

Para dar um novo visual ao ambiente, a alternativa é fazer a restauração de fachada e dos revestimentos, pois a simples mudança de cor já transmite novas sensações aos moradores.

7 – Prefira os espaços abertos

Os espaços abertos são melhores para residências menores e oferecem mais espaço para treinos. 

Assim, é possível fazer uma aula de dança em toda a extensão da sala de estar e de jantar, aproveitando ao máximo dos dois cômodos.

 

Conclusão

Com um pouco de organização, qualquer canto pode virar uma sala de treinamento. 

Dessa forma, não há desculpa para não se exercitar, já que mesmo quem tem a rotina corrida pode tirar um tempinho para as atividades físicas mesmo em casa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Está reformando o escritório? 5 dicas para te ajudar a economizar

Quem está reformando o escritório pode ter muitas dúvidas durante o processo, caso não tenha se planejado ou feito boas escolhas.

Apesar de ser um ambiente menor e que não exige tanta variedade em móveis e decoração como uma casa, os escritórios também precisam de atenção. Dessa forma, é possível garantir conforto e bem-estar, além de um ambiente que favorece o trabalho.

O local de trabalho é onde passamos a maior parte do tempo, por isso deve ser confortável, ergonômico, prático e organizado. 

Dessa forma, os profissionais melhoram a sua produtividade e conseguem se concentrar melhor.

Não precisa de luxo ou tudo o que há de mais moderno em móveis e equipamentos, mas que ofereça aos profissionais toda a praticidade e dinamismo de um ambiente profissional, além de conforto para garantir a saúde e o bem-estar.

Pensando nisso, neste artigo, vamos falar sobre a importância de um bom ambiente de trabalho e dar algumas dicas para quem está reformando o escritório.

 

Dicas para reformar o escritório

A reforma do local de trabalho pode envolver desde pequenos consertos até a reconstrução total do ambiente. 

Independentemente de como seja o seu projeto, é preciso estar atento a algumas dicas:

1. Utilizar móveis multifuncionais

Se além de reformar a intenção é trocar a mobília, como cadeira de escritório, os móveis multifuncionais são ótimos para ajudar a economizar dinheiro e espaço.

Eles deixam o ambiente com aspecto mais clean e agradável para os colaboradores, assim como para os clientes que visitarem o espaço.

Aqui, uma dica é procurar lojas de móveis planejados, pois eles oferecem mobílias multifuncionais em muitas opções, tais como:

  • Estantes;
  • Mesas;
  • Sofás;
  • Cadeiras.

2. Fazer o uso de materiais ecológicos

Uma das maiores necessidades na reforma de escritórios é fazer uma sala privativa

Para isso, é necessário uma parede que divida o ambiente e possibilite um espaço mais reservado para reuniões e outras necessidades do dia a dia.

Ao invés de construir uma parede comum, uma ótima ideia é usar o MDF ou as paredes dry wall. É uma opção resistente e visualmente agradável, além de ser fácil de instalar, pois não deixa resíduos e nem faz a sujeira comum da alvenaria.

3. Realizar um planejamento

Reformas deixam muita gente ansiosa para terminar logo por conta da bagunça e dos contratempos, mas isso pode ocasionar em mais gastos por agir por impulso.

Um planejamento detalhado é importante, que envolva pelo menos três orçamentos com diferentes empresas, lojas de construção e locais seguros de retirada de entulho de obra.

 

4. Calcular os gastos

É importante saber o custo total da reforma antes de começá-la. Dessa forma, é possível decidir se ela será feita por completo ou em partes.

É durante esse planejamento que conseguimos saber as vantagens de um desconto para pagamentos à vista ou se parcelar é mais viável, por exemplo.

 

5.    Dar atenção ao acabamento

O acabamento precisa ter tanta qualidade quanto a reforma e os móveis. 

Essa etapa não pode ser negligenciada, portanto, é necessário pesquisar os produtos sem focar apenas no menor preço, mas também na qualidade.

A durabilidade dos acabamentos também é importante para os escritórios, isso porque se não tiver qualidade, novas reformas e ajustes precisarão ser feitos ao longo do tempo.

 

Conclusão

Ter um ambiente de trabalho agradável e renovado pode ser mais vantajoso do que você imagina. Para isso, basta se planejar e estar atento às possibilidades e novidades do mercado.

Também é importante priorizar fornecedores e profissionais de qualidade e experientes, pois eles vão garantir que o projeto fique perfeito. Assim, seu novo escritório vai aumentar sua produtividade e a dos demais colaboradores.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Quais atividades físicas são mais recomendadas para os idosos?

As atividades físicas para idosos precisam ser direcionadas, já que manter o organismo ativo é a melhor maneira de ter saúde.

A qualidade de vida deve ser algo almejado em todas as idades, principalmente após os 60 anos, em que é preciso tomar cuidados específicos para manter o corpo e a mente saudáveis.

Os exercícios físicos ajudam a controlar a perda de força e massa muscular. Além disso, eles estimulam a produção de hormônios e ajudam no ganho de flexibilidade para a realização das tarefas do dia a dia.

Vale dizer que as atividades físicas também são importantes para a saúde mental. 

Elas ajudam na disposição e na autoestima, para que os idosos possam encarar o envelhecimento com mais naturalidade.

As práticas de pouco impacto são as mais recomendadas para quem está com mais de 60 anos, para evitar a ocorrência de lesões e machucados nas articulações.Mas nunca é tarde para começar a fazer exercícios físicos. Manter-se ativo na terceira idade é uma maneira de diminuir o risco de doenças crônicas, depressão, osteoporose, além de alguns tipos de cânceres.

Por isso, vários médicos, como ortopedista esportivo, recomendam a prática de esportes e outros exercícios em qualquer fase da vida.

No artigo de hoje, conheça quais atividades físicas são mais recomendadas para os idosos e os principais benefícios. Acompanhe a leitura!

1 – Alongamentos

Os alongamentos, embora pareçam fáceis, são exercícios que melhoram a capacidade funcional e a qualidade de vida dos idosos. Eles oferecem diversos benefícios, como:

  • Maior equilíbrio do corpo;
  • Controle das dores musculares;
  • Aumento da flexibilidade;
  • Melhoria da mobilidade;
  • Potencializa a autonomia e bem-estar.

Os exercícios de alongamento ajudam na saúde física e mental da terceira idade, mas precisam ser executados com cuidado para evitar riscos. 

Por isso, recomenda-se que as atividades sejam feitas com a consulta de um profissional e de forma supervisionada.

 

2 – Dança

A dança é uma das atividades mais recomendadas para idosos. O segredo é ter uma boa playlist, montar uma mesa de som yamaha digital e juntar os amigos para praticar uma aula animada e divertida.

De acordo com um estudo feito pelo Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, a dança ajuda a prevenir a perda de memória e o Alzheimer em idosos. 

Além disso, é uma atividade que ajuda na socialização e no encontro de amigos.

3 – Hidroginástica

Por ser realizada dentro d’água, a hidroginástica é uma atividade muito boa para evitar lesões e dores musculares nos idosos. 

É importante que o exercício seja feito em local apropriado, com piscina aquecida e um sombrite para garagem, se o espaço for aberto (para evitar raios solares). 

A hidroginástica é especialmente indicada para pessoas com osteoporose e artrose, justamente por ter um baixo risco de lesão.

 

4 – Musculação

A musculação e os exercícios resistidos têm se mostrado muito vantajosos para os idosos, promovendo a segurança articular e cardiovascular. 

Quando realizados com supervisão, eles são capazes de aumentar a massa muscular e óssea.

Contudo, os idosos devem sempre fazer exercícios de musculação devidamente acompanhados e alternar os dias de treinamento. Dessa forma, é possível aproveitar todos os benefícios da prática.

Além disso, a recomendação é aliar a musculação com algum exercício aeróbico, como caminhadas ou natação, para prevenir a ocorrência de diabetes, hipertensão, colesterol alto, entre outras doenças crônicas.

 

Conclusão

Para que a atividade física impacte de forma positiva os idosos, é fundamental que os exercícios sejam realizados com acompanhamento médico, levando em consideração as particularidades de cada corpo e as eventuais limitações.

Afinal de contas, a melhor atividade física é aquele que atende às necessidades e condições de saúde de cada indivíduo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como a comunicação visual pode atrair mais clientes?

A comunicação visual de uma empresa é um fator primordial em que todos os negócios precisam estar atentos para obter sucesso no que fazem. Isso porque é dessa forma que o público será atraído para a marca.

Apesar de ser fundamental e trazer muitas vantagens, alguns proprietários ainda não entenderam essa importância e acabam perdendo boas oportunidades para a concorrência.

Não agarrar as chances de venda e crescimento é um erro que pode prejudicar a marca. Neste artigo, falaremos sobre a importância da comunicação visual e suas vantagens para uma empresa. Acompanhe!

 

O que é comunicação visual?

A comunicação visual é a maneira que uma empresa usa para se apresentar para a sociedade. Trata-se de um conjunto de elementos visuais que criam uma identidade para a marca e a diferencia no mercado, fazendo uso de:

  • Cores;
  • Formas;
  • Simbologias;
  • Letras.

Muitos outros elementos são usados, e estes ajudam a determinar a “cara” da empresa. Por isso, é importante que seja coerente, chame a atenção, seja profissional e cause boa impressão.

 

Importância e vantagens da comunicação visual

A empresa deve trabalhar com uma identidade visual que mostre seu posicionamento no mercado, desde etiqueta de preço para gôndola até a porta de entrada do estabelecimento, para conquistar a confiança de seus clientes.

Esses elementos visuais agregam valor ao negócio e fazem com que ele se destaque em meio à concorrência. Afinal, a comunicação visual ajuda as pessoas a se lembrarem da marca toda vez que quiserem comprar alguma coisa que ela ofereça.

Portanto, é uma estratégia que influencia diretamente nos lucros, o que não permite que ela seja falha. Quando ela simplesmente não existe, a empresa causa a impressão de ser amadora.

Isso pode deixar os clientes cheios de dúvidas em relação à qualidade dos produtos ou serviços que são oferecidos. Assim, a comunicação visual é que vai trazer confiança e credibilidade para o negócio.

Se uma empresa de aluguel de máquina de café fizer bom uso da comunicação visual, ela será beneficiada com:

1 – Fortalecimento da marca

É a comunicação visual que vai fixar a marca na cabeça dos consumidores. Só que isso só é possível com um trabalho minucioso, bem feito e planejado ao longo do tempo.

Então, quando a pessoa vê uma cor, um símbolo, logotipo ou frase, rapidamente os associa à marca que vende determinado produto ou serviço.

2 – Registro da marca no imaginário do público

Existem muitas empresas que simplesmente não são esquecidas pelas pessoas, mesmo que elas nunca mais façam nenhuma propaganda.

Isso acontece porque foram criadas uma comunicação visual e uma identidade tão fortes que as pessoas já não precisam mais de comerciais ou anúncios para se lembrarem dessas marcas quando precisam dos produtos ou serviços oferecidos.

3 – Criar notoriedade

Atualmente, por conta da internet, o público tem acesso a tudo o que precisa e com muitas opções. Por isso, se alguém precisa de barraquinha de festa infantil, vai encontrar na web muitas empresas que trabalham com isso.

Isso significa que é preciso ser notado e lembrado mais do que seus concorrentes. Por meio da comunicação visual, a marca se destaca e passa a figurar entre as preferidas pelos consumidores.

 

Conclusão

É importante entender e saber trabalhar a comunicação visual para que uma empresa fale diretamente com seu público de maneira atrativa e eficiente.

Portanto, mesmo que hoje as marcas tenham acesso ao que há de melhor e mais tecnológico em seus processos, como o marketing digital, é necessário trabalhar todos os seus aspectos para criar uma identidade forte no mercado. 

Afinal, além de atrair novos clientes, leva o público a enxergar o valor da marca.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Vale a pena realizar investimentos em casas mobiliadas?

O setor de casa e construção tem várias peculiaridades e pode despertar dúvidas em quem pretenda investir nessa área, sendo uma das principais a do investimento em casas mobiliadas.

É comum vermos essa solução em filmes norte-americanos, já que lá tal medida é como que uma tradição. Contudo, cada vez mais temos visto isso também no mercado nacional.

As questões que ficam pairando no ar, porém, são a respeito dos prós e contras desse tipo de negociação. 

Será que vale a pena investir em casas já mobiliadas, ou é preferível comprar o imóvel vazio e mobiliá-lo depois?

Se você quer compreender melhor antes de tomar sua decisão, veio ao lugar certo. Basta continuar com a gente até o fim da leitura.

 

O que são e quais os impactos?

Pode parecer redundante a questão sobre “o que são imóveis mobiliados”. Afinal, parece óbvio, porém o que se ressalta aqui são os bastidores dessa área.

Geralmente, as empresas que comercializam dessa maneira nada mais são que construtoras ou imobiliárias com uma boa influência no mercado.

Assim, além de dominarem o seu setor, conhecem também o moveleiro e todos os demais nichos. Por isso, existe certa organicidade em tais projetos.

Se o edifício fosse comercial, a mesma construtora ou empreiteira que ergueu a construção definiria qual a melhor estrutura metálica para cobertura, e depois quais os melhores móveis e instalações do ambiente.

Isso completa o serviço de modo mais abrangente, além de que costuma incluir os famosos móveis planejados, que se encaixam perfeitamente em cada aplicação.

Aí estão alguns impactos positivos. Por outro lado, também é essa modalidade de negociação que pode assustar, a princípio, em termos financeiros.

Sim, já que dentro da mesma linha de casas e imóveis cotados haverá uma diferença considerável de valor naqueles que já forem mobiliados, pois a mobília estará embutida no preço final.

Esse ponto merece aprofundamento.

 

Como ver a questão dos valores?

Já vimos como o know-how das empresas que vendem imóveis mobiliados pode ser um fator bastante positivo em qualquer negociação.

Uma ponderação necessária é sobre os valores, pois embora obviamente o mobiliado acabe ficando um pouco acima do valor, na prática ele deve sair mais em conta.

Se você fosse calcular a mobília de uma casa inteira (ou mesmo de uma empresa), incluindo aí os vários serviços de que precisaria para encontrar as peças indispensáveis e chegar ao ponto perfeito, certamente o valor acabaria ficando muito maior.

Afinal, uma simples estante escritório pode custar muito mais caro para o usuário final, que compra apenas uma peça, do que para uma construtora. 

Esta ainda costuma encomendar um lote bem maior de móveis, já que compra sempre no atacado.

 

A praticidade e o longo prazo

Você ainda pode estar pensando: “Mas os móveis não vão ter a minha cara, e talvez nem combinem com o meu estilo”.

O que isso demonstra, porém, não é a desvantagem do imóvel mobiliado, mas a necessidade de pesquisar bastante antes de realizar qualquer aquisição.

De fato, você também não desenha um imóvel ou uma casa exatamente como queria, não é mesmo? Você apenas escolhe uma entre várias no mercado.

Assim, além de as mobílias já incluídas serem customizadas para cada ambiente da casa, a praticidade do serviço também vai economizar muito do seu tempo.

Também é preciso lembrar que os retoques finais caberão a você, como itens secundários que podem incluir, por exemplo:

Além de toda a decoração e da própria garantia (do imóvel e dos móveis principais), que virá da mesma empresa e dará maior segurança no médio e longo prazo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

5 dicas de comunicação interna para aplicar na sua empresa

A comunicação interna de uma empresa é um dos elementos mais importantes para o seu funcionamento, garantindo que os colaboradores e gestores atuem de modo alinhado.

Assim como um estabelecimento foca em estratégias de marketing para falar com os seus clientes, esse mesmo local deve utilizar ferramentas que possibilitem uma comunicação efetiva com todos os membros da sua equipe. 

A comunicação interna pode ocorrer de dois modos: entre superiores e subordinados, chamado de vertical, e entre pessoas do mesmo nível hierárquico, o horizontal. 

Vale lembrar que o principal objetivo dela é engajar o seu time de profissionais, alinhando-os com os valores, metas e causas que regem o negócio.

Justamente porque ela é de grande importância para o sucesso de um estabelecimento, é preciso conhecer meios de colocá-la em prática, garantindo o entrosamento dos funcionários de uma empresa de pintura predial de modo simples e dinâmico.

Sendo assim, se você quer conhecer 5 dicas que podem trazer resultados consistentes para a comunicação interna da sua empresa, siga na leitura deste conteúdo e saiba mais sobre o assunto.

1. Implementar canais de comunicação

Para que você consiga falar com os seus funcionários, é indispensável ter canais de comunicação de fácil acesso e que possam ser vistos por todos. 

Entre os principais tipos podemos mencionar:

  • E-mail marketing;
  • Mural de notícias;
  • Página da intranet;
  • Televisão ou rádio corporativo;
  • Entre outros.

Com eles, a inclusão de um novo serviço no portfólio do estabelecimento, como a pintura de fachada predial, a realização de um treinamento e o agendamento de uma reunião podem ser facilmente informados para toda a equipe. 

 

2. Permitir que todos tenham acesso aos canais

Garantir que os departamentos e seus colaboradores tenham acesso a esses canais de comunicação é fundamental para o sucesso interno do negócio. 

Por isso, não deixe de incluir nenhum funcionário no e-mail marketing, ou atente-se para posicionar o quadro de avisos em um local de circulação comum para todos. 

 

3. Estimular o uso dos canais de comunicação

Se a equipe responsável pela compra dos materiais para os serviços de pintura em epóxi utiliza os canais de comunicação para falar entre si, isso é um ótimo sinal. 

Mas pode ser essencial estimular que outros colaboradores de diferentes setores também utilizem esse recurso, como a equipe de marketing, de logística, administrativa, etc.

Esse investimento garante que todos estejam integrados e consigam ter acesso às informações de modo amplo e completo. 

 

4. Incentive a participação dos colaboradores

A comunicação interna não deve ser feita apenas pelos gestores da empresa. 

Por isso, é fundamental que você proponha aos funcionários que eles também participem com envio de sugestões, de dúvidas e observações que sejam pertinentes. 

 

5. Acolha o que a sua equipe tem a dizer

Depois de estimular a participação dos colabores, é importante que você dê ouvidos ao que eles têm a dizer. 

Isso porque uma sugestão bem elaborada e coerente pode ser um instrumento de mudanças importante, que certamente trará vantagens para a empresa e para todo o seu time de funcionários. 

 

Considerações finais

Colocar em prática as dicas abordadas neste conteúdo pode ser o meio mais eficaz de colher benefícios para o seu negócio. 

Isso porque a comunicação interna bem aplicada pode engajar os funcionários, permitindo que eles executem as suas tarefas de maneira mais eficiente e com maior empenho. 

Há também a vantagem do aumento do bem-estar para todos, assim como um ambiente de trabalho harmonioso, onde o turnover de colaboradores é muito menor. 

Por isso, não deixe de investir na comunicação interna do seu negócio, reduzindo os ruídos que podem prejudicar a produtividade e potencializando os resultados da empresa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Naturally, the very first thing you need to do is write essays writing help an essay on your own.

Como usar redes sociais para divulgar os serviços da sua empresa?

Dentro do universo do marketing digital, poucas iniciativas são tão importantes para uma marca quanto o investimento utilizado para divulgar os serviços da sua empresa nas redes sociais.

Nenhum empresário ou autônomo pode esquecer que em todas as pesquisas da área o Brasil sempre fica entre os países que mais utilizam mídias sociais no mundo.

Segundo dados da GlobalWebIndex, esse número cresceu mais de 60% nos últimos anos. Já somos mais de 100 milhões de usuários, com uma média que supera 4 horas de uso por dia.

Sendo assim, se você quer aprender a utilizar as redes sociais para divulgar os serviços ou mesmo produtos de sua empresa, siga adiante na leitura.

 

Por que as redes ou mídias sociais?

Ao lado dos grandes motores de busca, as redes sociais são as principais plataformas onde as pessoas passam a maior parte do tempo conectadas.

Há vários fatores que apontam para isso. Eles vão desde o acesso crescente à internet ou informática/telefonia, até o perfil das Gerações Y e Z, os nascidos, respectivamente, dos anos 1980 e 2000 para cá.

Por isso, a regra de ouro hoje é precipitar-se em relação ao seu cliente. Ou seja, lançar ações e campanhas que sejam capazes de aparecer para ele no lugar certo e na melhor hora.

Assim, quando ele precisar de iluminação para área de piscina, você aparecerá como uma solução disposta a atendê-lo com eficiência e assertividade.

Para atingir esse ponto, basta compreender qual a proposta de cada rede social do momento e desenvolver conteúdos dentro dessa lógica.

 

As redes e o marketing de conteúdo

Em termos de divulgação, a palavra do momento é marketing de conteúdo.

Segundo essa estratégia, você precisa atrair seus clientes desenvolvendo conteúdos gratuitos e de qualidade, sempre com a mesma frequência.

Nas redes sociais vale o mesmo. A dica aqui é colocar todo seu conhecimento, e ainda pesquisar, sempre que possível, sobre cada produto ou solução que sua marca oferece.

As quatro principais redes sociais do momento são:

  • Facebook;
  • YouTube;
  • Instagram;
  • WhatsApp.

Temos aí, respectivamente, o foco em textos, vídeos, fotos e mensagens instantâneas. Ao desenvolver seu conteúdo para as redes pense nesses formatos específicos.

Uma dica valiosa é começar pelo texto: ali você elabora a proposta central sobre o produto/serviço, seja por doces bem casados ou venda industrial.

Depois, o artigo do Facebook pode ser resumido e virar ações no WhatsApp. Também vale muito a pena criar grupos no Facebook.

Em seguida, o mesmo texto pode tornar-se um script ou roteiro para vídeos no YouTube. 

Assim, cada postagem será muito mais embasada, e cumprirá com as tendências do marketing de conteúdo.

 

Como vai se dar o meu crescimento?

Não é possível falar sobre marketing digital e mídias sociais sem lembrar que existem dois modos de crescer nesse universo.

Há a maneira orgânica – que é espontânea e capta seguidores naturalmente –, e as propagandas ou Ads, que aceleram o processo. Ads nada mais é que uma sigla para Advertising, ou seja, “Publicidade”.

Hoje a maioria das plataformas oferecem soluções nessa área. O mais interessante é que todas elas oferecem serviços consideravelmente customizáveis.

Geralmente, se você anuncia um estúdio gravação, vai pode decidir para usuários de que região do país ou cidade a publicidade deve aparecer, além de horários e afins.

Ou ainda, para qual faixa etária, para qual gênero, e daí em diante. Só não esqueça que a qualidade (e o marketing de conteúdo) são indispensáveis em todos os casos.

Afinal, mesmo pagando para aparecer com seus anúncios, o seu cliente espera um bom conteúdo e uma solução eficaz, elementos que certamente vão conquistá-los.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como adaptar a sua casa em escritório para ser mais produtivo

Transformar uma casa em escritório pode ser uma excelente maneira de melhorar a produtividade do home office.

Isso porque, muitas pessoas estão trabalhando em casa, mas têm sentido dificuldade em manter a produtividade.

Uma repaginada no ambiente, pode ajudar a melhorar o dia de trabalho, além de proporcionar mais conforto e bem-estar.

Pensando nisso, neste artigo, vamos dar algumas dicas para que você consiga adaptar um cômodo da sua casa, tornando-o um ambiente ideal para a sua rotina.

A importância de um local exclusivo

Trabalhar em casa pode ser sinônimo de dificuldades para algumas pessoas, principalmente por conta do local de trabalho. 

Nem sempre temos um espaço exclusivo para isso, mas essa realidade não precisa ser um problema.

Para que você consiga fazer um bom home office, em primeiro lugar, é importante ter um local para trabalhar, não precisando ser necessariamente em um lugar exclusivo. 

No início, pode ser difícil encontrar um ambiente adequado para as atividades do dia a dia, mas com itens simples, como uma luminária para quarto é possível começar a fazer as mudanças necessárias.

Como adaptar um cômodo para trabalhar

Agora que diversas pessoas foram obrigadas a mudar a maneira como trabalham, muita gente se viu na necessidade de fazer algumas mudanças para manter a rotina de trabalho. 

E a tendência é que essa nova realidade permaneça para muitos profissionais.

Muitas organizações estão vendo no home office uma excelente maneira de economizar e poupar investimentos em espaço físico, por isso, o ideal é colocar em prática dicas como:

  • Separar um canto de um cômodo;
  • Analisar a iluminação;
  • Respeitar os horários de trabalho;
  • Tentar manter uma rotina.

Feito isso, é hora de providenciar as adaptações, sem precisar de uma reforma predial. E algumas dicas são:

1 – Escrivaninha como mesa de apoio da cama

Seja por falta de espaço ou porque o profissional não deseja olhar para o “escritório” quando estiver na cama, uma boa dica é colocar uma mesa de trabalho no lugar de uma mesa de apoio.

Essa ideia aproveita melhor o espaço disponível e evita que a pessoa tenha contato visual com papéis, computador e outros itens em seus momentos de descanso.

2 – Espaço definitivo de trabalho

Para quem definitivamente trabalha dessa maneira e não pretende voltar a trabalhar fora de casa, uma boa dica é dedicar uma parede toda para o espaço de trabalho.

Pode ser na sala ou no quarto, no entanto, é importante lembrar que, se for um local definitivo, precisa ser em um ambiente silencioso onde o profissional possa se concentrar.

Uma boa ideia é dispor uma mesa que ocupe toda a largura de uma das paredes. 

Dessa forma, é possível organizar todos os materiais de trabalho, como computador, impressora, papéis etc.

Para deixar o espaço ainda mais confortável, usar papel de parede vinílico é uma boa dica, pois ele deixa o ambiente mais bonito para o dia a dia de trabalho.

3 – Móveis confortáveis

Os móveis precisam ser ergonômicos, isto é, que otimizem o bem-estar do colaborador. 

Por isso, se o orçamento estiver um pouco apertado, invista pelo menos em uma boa cadeira, para que sua coluna não seja prejudicada.

4 – Ambiente menos poluído

Lembre-se de que o escritório vai dividir espaço com a sala ou quarto, por isso, quanto mais organizado ele for, menos poluição visual ele causa.

Conclusão

Transformar um espaço em escritório para o trabalho auxilia na concentração nas tarefas e também em outros momentos, como na hora de ler um livro ou estudar.

É uma maneira de aproveitar todo o conforto do lar para melhorar a produtividade em qualquer atividade, com um home office muito agradável.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

O que falta para o seu site possuir um maior número de tráfego?

Com o crescimento do marketing digital em relação às demais modalidades de publicidade, um dos esforços mais importantes da atualidade é o de conseguir mais tráfego no seu site.

De fato, uma página sem pageviews é uma página que não conseguiu realizar seu principal objetivo: chegar às pessoas do público-alvo. Sem tráfego não há leitores, nem engajamento, nem oportunidades.

Afinal, se um site não tem visitantes, então ele também não gera leads, portanto não é capaz de trazer mais contatos, mais clientes e mais vendas para o seu negócio.

Você prefere ter uma loja física de vidro para janela na qual ninguém entre, ou que esteja sempre cheia de gente? Pois é. Não gerar tráfego equivale a manter um estabelecimento comercial no qual não entra ninguém durante o dia.

É claro que, normalmente, nem todos que entram, realizam uma compra. Mas também é óbvio que este é o primeiro passo, não é mesmo? 

No mundo digital essa visitação é chamada de “tráfego”.E se você quer entender melhor sobre esse assunto, siga adiante na leitura.

Quais os tipos de tráfego existem atualmente?

O primeiro passo é compreender que existem vários tipos de tráfegos, e não adianta sair atirando para todo lado sem antes ter um planejamento.

As modalidades mais buscadas hoje são as seguintes:

  • Tráfego direto;
  • Tráfego de referência;
  • Tráfego social;
  • Tráfego orgânico;
  • Tráfego pago.

O tráfego direto é o sonho de todo mundo, pois trata-se daquele visitante que chega ao seu site sem intermediários, escrevendo seu domínio na barra de endereço. 

As dicas para conseguir esse feito vão desde ter um nome amigável, até investir em cartões de visita.

O tráfego de referência também é pouco explorado, e consiste em duas estratégias principais e fundamentais: geração de conteúdo de qualidade e guest post.

Todo empreendedor entende do seu próprio nicho, seja ele um segmento de roupas ou de ferros industriais. Mas ser uma referência implica saber transmitir sua autoridade, através de conteúdos originais, relevantes e gratuitos para o seu público.

Depois disso é que vem o guest post: não fique numa bolha, faça networking com outros canais e troque conteúdos com eles, publique os artigos deles e vice-versa, troque links entre as páginas. Isso é o que aumentará seu tráfego de referência.

Quais os principais tráfegos e como crescer neles?

Atualmente, o foco das estratégias recai sobre o tráfego social, que como sugere o nome é o das redes sociais, bem como no tráfego orgânico ou pago.

A regra de ouro sobre mídia social é entender a proposta: algumas redes exploram textos curtos, outras, textos maiores; algumas exploram fotos, outras, vídeos. Algumas focam em mensagens instantâneas, até com limite de caracteres.

Todas elas exigem boa interação com o público e qualidade de conteúdo (como discutido acima). Mas suas publicações vão impactar os usuários, além de gerar engajamento e compartilhamento, quando a qualidade estiver em sinergia com o formato proposto.

O tráfego orgânico remete, sobretudo, aos grandes buscadores, como Google, Bing e Yahoo. Assim, para que o leitor e futuro cliente encontre seu site ao pesquisar algo como georreferenciamento urbano, você precisa fazer SEO, que é a otimização de páginas.

O bacana sobre tráfego orgânico e pago é que você pode tocar ambos ao mesmo tempo. 

Assim, enquanto suas palavras-chave principais vão ganhando bom ranqueamento, você também investe financeiramente no impulsionamento de algumas.

Trata-se dos links patrocinados, que também podem aumentar incrivelmente seu tráfego.

A regra de ouro aqui é, finalmente, aproveitar a customização, que permite personalizar desde o orçamento até as regiões e horários em que seus anúncios aparecerão. Com isso vimos as principais dicas de geração de tráfego.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

O que a sua empresa pode melhor absorver do home office?

O home office sofreu um crescimento acelerado nos últimos meses, devido à pandemia do novo coronavírus. Mas o fato é que essa modalidade de trabalho já era uma tendência e acabou se concretizando antes do previsto.

Apesar das empresas terem de se adaptar rapidamente a essa nova realidade, ela acabou trazendo mudanças positivas e ampliando a capacidade de trabalho das empresas e das pessoas.

Por isso, neste artigo, vamos falar um pouco sobre o home office e o que as empresas podem aprender de positivo com esse modelo de trabalho.

Como funciona o home office?

Quem atua com home office, trabalha em casa ou em espaços alternativos, com cafés e coworking. É uma modalidade comum com entre freelancers, autônomos ou empresas que adotam esse modelo, como no caso de muitas atualmente.

É uma boa escolha para quem está começando o próprio negócio e não quer usar a fórmula tradicional de trabalho. A vantagem é que essa opção traz muitas vantagens, como:

  • Independência;
  • Menos estresse;
  • Alimentação mais saudável;
  • Liberdade profissional;
  • Qualidade de vida;
  • Mais economia para a empresa.

Mesmo em meio a tantos benefícios, algumas empresas enfrentam seus desafios, afinal, boa parte delas ainda está se adaptando. E é isso o que trará muitos aprendizados para as organizações.

Aprendizados positivos do home office

Tantos desafios frente à essa nova realidade, trouxeram muitos aprendizados para as organizações. Por exemplo, se antes elas podiam contar com salas para treinamento, hoje não é mais necessário, por conta do distanciamento social.

No entanto, podem fazer suas atividades de maneira remota, usando alguns softwares que, inclusive, são encontrados gratuitamente. Mas dentre os pontos positivos que podem ser absorvidos estão:

1 – Fluidez na comunicação

A comunicação é algo importante para qualquer empresa, por diversos motivos, tais como:

  • Alinhar as equipes;
  • Organizar o fluxo de trabalho;
  • Atingir metas e objetivos;
  • Garantir a qualidade dos processos.

Só que para conseguir mais fluidez, é importante se atentar a alguns pontos necessários para qualquer organização, desde aquelas que fabricam equipamentos para impressão de fotos digitais, até os mais variados tipos. Por isso é importante:

Criar uma rotina de diálogo

A empresa deve garantir que nenhum colaborador se sinta excluído ou sozinho. 

É necessário desenvolver um planejamento de ações para manter essa proximidade, para uma comunicação constante e natural.

Uma rotina de reuniões é uma boa dica, e elas devem ser feitas com uma periodicidade mais próxima possível das que eram feitas pessoalmente.

2 – Suporte sempre disponível

Assim como o home office é uma novidade para algumas empresas, também é uma novidade para os colaboradores. Por isso, é natural que ele precisem de suporte mais vezes do que o normal.

Eles não poderão contar com recursos como equipamentos de telão home theater, infraestrutura de apoio ou outras disposições que as organizações costumam oferecer. 

Tudo isso será adaptado a um novo formato, estando cada funcionário em um local diferente, neste caso, em suas respectivas residências.

O suporte também pode ser feito à distância, e para isso, a empresa pode optar pelos feedbacks constantes e criar um canal de comunicação exclusivo para ajudar os colaboradores.

Conclusão

Adotar essas estratégias é uma ação muito positiva para as empresas, pois elas podem continuar produzindo, sem colocar em risco a saúde de todos os seus profissionais.

Além disso, a experiência com o modelo de trabalho home office vai expandir a capacidade de organização da empresa, oferecer a ela uma modalidade mais econômica e torná-la mais resiliente frente eventuais desafios.

É uma forma de estar preparado para essas situações e ter a oportunidade de oferecer maturidade e crescimento aos colaboradores, que também estão descobrindo capacidades que não conheciam.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.