10 destinos imperdíveis para quem gosta de conhecer novos bares

Tomar um banho de mar ou de cachoeira, realizar uma trilha em uma região montanhosa, visitar museus e conhecer lugares históricos em um walking tour são algumas atividades possíveis durante uma viagem.  

Mas se você é daqueles que sempre para em uma banqueta de bar para degustar comidas e drinks quando está desbravando um local, são valiosas as dicas sobre quais lugares ir à noite ou no happy hour após um dia na praia. Confira, abaixo, dez destinos imperdíveis para quem gosta de bares. 

Casa Paladino, Rio de Janeiro 

Situada a apenas quatro minutos da estação de metrô da Uruguaiana, no centro da Cidade Maravilhosa, a Casa Paladino tem mais de 100 anos de existência. Com uma atmosfera que mistura botequim e armazém, o espaço dispõe de móveis de madeira antigos e pratos originais, conquistando o título de Patrimônio Cultural da cidade, em 2011. 

Entre os mais pedidos da Casa Paladina, estão o chope gelado acompanhado pelo sanduíche triplo, o mais famoso do estabelecimento, que reúne presunto, ovo e provolone no pão francês. Se gostar do que provar, é possível levar alguns itens para casa, como o bacalhau e as castanhas. 

Bar do Caldeira, Manaus 

Tombado como Patrimônio Cultural Imaterial do Amazonas, em 2015, o Bar do Caldeira oferece inúmeras opções para quem quer desfrutar da diversificada culinária amazônica: o capitão tambaqui, bolinho de pirão recheado de peixe temperado com ervas e gengibre, o torresminho do Caldeira e a famosa caipirinha de jambu. De terça a quinta, o estabelecimento oferece samba e chorinho ao vivo. 

Mocambinho Bar, Salvador 

Localizado no Largo Dois de Julho, o bairro mais boêmio da capital baiana, o Mocambinho Bar possui um ambiente aconchegante, com mesas ao ar livre. O bar se destaca pelo purê de abóbora com carqueja e pela famosa Cumbuca da Zira, que traz linguiça, farofa e saladinha de tomate com um toque de gengibre. Outra dica é a carne de fumeiro com purê de banana-da-terra e folhas de manjericão. 

Cachaçaria do Rancho, São Paulo 

Dono de uma feijoada deliciosa, acompanhada por um samba maravilhoso, aos sábados, esse bar se localiza na Praça Dom José Gaspar, no centro da cidade. Rodeado por árvores, o estabelecimento dá vida ao local e oferece mesas ao ar livre em seu no interior. Além das cachaças, o bar oferece uma boa caipirinha. 

Bodega do Véio, Recife 

Nascido em Olinda, o bar fez tanto sucesso que ganhou nova filial no coração do Recife Antigo, um dos lugares mais charmosos da capital pernambucana. Além do forró, que deixa poucas pessoas sentadas, o bar é marcado por quadros com ícones da cultura pernambucana — de caboclos de lança a Chico Science.  

Além do tradicional sarapatel e arrumadinho de carne de sol, o estabelecimento oferece um sanduíche original de pão francês com queijo do reino e pastrami. Cerveja gelada e boas opções de cachaça também não faltam aos visitantes. 

Amigão Bar, Brasília 

Presente na capital federal desde 1980, o estabelecimento tem como uma de suas marcas o delicioso joelho de porco. Outras opções no cardápio são a dobradinha e o chambaril — prato originário do Tocantins, feito com a carne da perna do boi, que fica acima da canela e abaixo do joelho. Além, claro, de diversas cachaças para acompanhar os quitutes. 

Queima Zóio, Florianópolis 

Fundado há apenas nove anos, o Queima Zóio se tornou um clássico do bairro do Rio Tavares, localizado no centro-sul da Ilha da Magia, como é conhecida a capital catarinense.  

Além das boas cachaças, o bar oferece uma boa dobradinha, cuidadosamente, preparada por Dona Rosa. Para animar o ambiente, os visitantes mais entusiasmados podem se esbaldar no Jukebox. 

Casa do Gilson, Belém 

Criado em 1997, o bar funciona no quintal da casa do Seu Gilson, artista plástico e músico, que dedica quase 30 anos ao chorinho. Além do samba de primeira, o local oferece cervejas geladas e petiscos, como o pirarucu frito, um dos maiores peixes de águas doces do Brasil, bastante encontrado na bacia Amazônica. 

Patorroco, Belo Horizonte 

É difícil honrar a tradição mineira de petiscos. Porém, o Patorroco não deixa a desejar. Um costume do Patorroco que faz sucesso é o tutu-bola, bolinho de tutu recheado com couve e carne suína, coberto pela crocância de um torresmo, e acompanhado de molho picante. 

Além da variada carta de cervejas, o bar oferece pratos ousados, como o vatapá de galinha caipira com camarão, acompanhado de angu branco com leite de coco e arroz com coentro. 

Bar do Fogo, Curitiba 

Conhecida por seus bares e pela intensa vida boêmia, Curitiba tem inúmeras opções de estabelecimentos bons para quem passa pela cidade. Um deles é o Bar do Fogo, que, além de cerveja gelada e bons petiscos, oferece jazz às quartas e samba às quintas. No inverno, os clientes podem degustar caldos, vinhos e quentão a bons preços. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *